segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Trilha da Cachoeira


Qual é a melhor maneira de aproveitar um fim de semana após organizar seis provas de Trekking de Regularidade? Fazendo uma nova trilha passaporte do Projeto Trilhas de São Paulo.

Partimos em direção à Doçaria Padoveze que oferece café da manhã cobrado por pessoa. Como tinha lido que não havia venda de bebida no parque, compramos um estoque de água e seguimos nosso caminho.

Seguimos bem até o km 84 da rodovia Fernão Dias, quando o trânsito simplesmente parou. Estava muito calor e conseguimos alcançar a primeira saída da rodovia de 20 minutos depois. Felizmente a saída do km 79 era justamente a que nos levaria até a entrada do Núcleo Engordador do Parque Estadual da Cantareira. Este núcleo recebeu este nome, pois existia uma fazenda de engordava de gado no século XVII.

Quando chegamos, um dos funcionários nos disse que o estacionamento do parque estava lotado e pediu para que parássemos do lado de fora, junto com muitos outros carros que também estavam lá. Enquanto nos preparávamos passando de protetor solar (extremamente necessário pelo sol que estava) o funcionário recebeu informação do Mike que um carro estava saindo do estacionamento e ele nos avisou sobre a vaga.

A entrada do parque custa R$ 5,00 por pessoa, mais R$ 5,00 por veículo. Após estacionarmos, seguimos para o Centro de Visitantes e, depois para o início da Trilha da Cachoeira.


A trilha se inicia passando ao lado da Casa da Bomba, do playground e de uma área para picnik. Nesta área haviam muitas famílias aproveitam do o sol o lanche que trouxeram.


Nesta área também existe um pequeno canal com água que desce da represa. Além disso, existem algumas duchas para as crianças se refrescarem.

Depois disso, seguimos a trilha por uma pequena subida que leva até alguns quiosques e para o caminho principal da trilha. A trilha é de terra batida e bem tranquila por uma boa parte do percurso.

Embora o percurso não seja muito longo, o calor estava muito forte, mas a copa das árvores garantia uma boa sombra.

A primeira cachoeira que encontramos é a Cachoeira do Tombo, descendo um pouco pelo lado direito da trilha.  


Seguindo pela trilha, encontramos a segunda cachoeira praticamente na metade do caminho. A Cachoeira do Engordador é formada por uma queda que chega ao Riacho Engordador, entretanto, há uma tubulação de água que desce paralelo a trilha que deixa a paisagem meio estranha...


Ao lado da tubulação, existe uma passarela sobre o Riacho Engordador. A passarela leva até o trecho mais íngreme da trilha, onde existem alguns degraus ao lado da tubulação que passa pela Cachoeira do Engordador.


Após a subida encontramos um pequeno reservatório e neste ponto, a trilha começa a retornar para a entrada.


De volta à sombra das árvores encontramos uma grandiosa figueira.



Ao lado, encontramos outro braço do rio mais baixo formando um pequeno cânion pela erosão. Passamos por ele utilizando uma pequena passarela.


Finalmente chegamos na terceira cachoeira, que me pareceu a mais interessante das três. Procurei a placa no local (e na internet), mas não descobri o nome dela. O principal diferencial em relação as outras duas é o volume das águas que desce das pedras, embora o acesso ao lago seja mais difícil.



Quando estávamos quase chegando ao ponto onde o laço termina, vimos uma pequena cobra marrom cruzando a trilha, mas logo segui morro abaixo.
Por fim, retornamos até o início da trilha onde pudemos ver a represa por cima de uma barragem.



O passeio terminou na Casa da Bomba, construída em 1894 e que possuía equipamentos para fazer o bombeamento da água para a Av. Paulista. Em 1949, houve uma explosão na caldeira que interrompeu o funcionamento do sistema. 


Como a trilha faz parte do Projeto Trilhas de São Paulo, recebemos mais um carimbo no passaporte.
Visualizar Trilha da Cachoeira em um mapa maior


Para repor as energias, fomos conhecer o Frangó. O almoço foi um galeto com polenta e farofa. É claro que o principal destaque da casa não poderia deixar de ser pedido: a coxinha.


Participaram:
  Timberland: Roberto e Luciana.



Parque Estadual da Cantareira - Núcleo Engordador
  • Endereço: Av. Cel. Sezefredo Fagundes, 19100 - São Paulo
  • Nível de dificuldade: Médio
  • Extensão: 3 km
  • Perfil altitudinal: 844 m - 895 m
  • Percurso: 1h e 30 min
  • Piso da trilha: terra e cascalho.
  • Características ambientais: floresta atlântica de planalto.
  • Atrativos da trilha: viveiro, represa, diversas quedas d'água. Cachoeira do Engordador, antigo posto de captação da Sabesp, Riacho engordador.




Referência
SÃO PAULO (ESTADO). SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE DO ESTADO DE SÃO PAULO. Passaporte para as trilhas de São Paulo. Fundação para Conservação e a Produção Florestal. organizadores Anna Carolina Fonseca Lobo de Oliveira, et al. São Paulo: SMA, 2008. 104 p. 1 mapa.

Um comentário:

  1. Beto,

    Genial o blog, adorei. De vez enquando entrarei aqui para viajar um pouco com vocês. Se eu morasse aí, com certeza estaria no banco de trás!

    beijos,

    ResponderExcluir